O que é Criocirurgia?

Criocirurgia, também conhecida como crioterapia, é um processo terapêutico. Trata-se de um método de tratamento que usa temperaturas muito baixas, na maioria das vezes, utilizando o nitrogênio líquido, para destruir lesões dermatológicas.

Na criocirurgia, congela-se a lesão a ser tratada com disparos de nitrogênio líquido.

O que se usa para a criocirurgia?

Vários agentes químicos diferentes podem ser utilizados para se conseguir o resfriamento abrupto da pele. O mais comum, no entanto, é usar o nitrogênio líquido, na temperatura de -195,8ºC.

Trata-se de um método seguro, limpo, rápido e altamente eficaz, quando bem indicado e corretamente utilizado. O nitrogênio líquido é colocado dentro de um aparelho denominado criospray: um frasco que tem um mecanismo que libera um jato do gás, permitindo o direcionamento preciso para a lesão que será tratada.

Como a criocirurgia funciona?

O resfriamento rápido da pele provoca inúmeras alterações imunológicas, além da destruição dos tecidos, podendo, inclusive, induzir à morte celular programada (apoptose).

Como é o procedimento?

O congelamento é feito durante um tempo pré-determinado, de acordo com a natureza da lesão. O tempo de descongelamento também é importante. Às vezes, é necessário fazer dois ou três ciclos de congelamento.

Congela-se a lesão a ser tratada com disparos do gás. Existem ponteiras específicas para determinadas lesões e, em alguns tipos delas, como verrugas finas em crianças, podem ser usados cotonetes previamente umedecidos e congelados.

A dor do procedimento em geral é suportável, mas pode ser necessária anestesia local.

Quais doenças podem ser tratadas dessa maneira?

A criocirurgia pode ser utilizada como tratamento para alguns tipos de carcinoma basocelular, em casos de cromomicose, e em inúmeras doenças inflamatórias, como a liquenificação circunscrita.

Ela é muito eficiente quando utilizada em tratamentos de ceratoses actínicas e seborreicas, verrugas e lentigos solares.

Como fica a área tratada?

Em geral, o local fica vermelho, inchado e dolorido. Depois de um tempo, e dependendo de como foi o tratamento, há a formação de uma bolha e depois de uma crosta, que irá cair no período de 7 a 30 dias. Nessa fase, o médico dermatologista provavelmente irá pedir que se faça a limpeza do local com água e sabonete, podendo também recomendar pomadas antibióticas e analgésicos leves, se necessário.

Quais são as complicações?

Dor é a queixa mais comum dos pacientes. Infecção não costuma acontecer, mas temos que ficar atentos se há a saída de secreção de pus no local. Pode ficar uma área branca ou escurecida no local tratado que, na maioria das vezes, some espontaneamente. Esse efeito, no entanto, pode ser persistente.

É importante ressaltar que esse tratamento, se não for adequadamente realizado, pode trazer terríveis consequências, incluindo necrose ou perda de um membro.

Portanto, é altamente recomendado que seja realizado por um médico dermatologista habilitado.

Faça uma avaliação, agende uma consulta!